Bem vindos ao site da “GINCANA CULTURAL HANSENÍASE TEM CURA O PRECONCEITO TAMBÉM”


A Gincana Cultural  A Hanseníase tem cura. O Preconceito também  começou a ser elaborada desde o ano de 2011.
Antes vamos saber um pouco sobre a Hanseníase??
A hanseníase, conhecida oficialmente por este nome desde 1976, é uma das doenças mais antigas na história da medicina. É causada pelo bacilo de Hansen, o Mycobacterium leprae: uma bactéria que ataca a pele e nervos periféricos, mas pode afetar outros órgãos como o fígado, os testículos e os olhos. Não é, portanto, hereditária.
Com período de incubação que varia entre três e cinco anos, sua primeira manifestação consiste no aparecimento de manchas dormentes, de cor avermelhada ou esbranquiçada, em qualquer região do corpo. Placas, caroços, inchaço, fraqueza muscular e dor nas articulações podem ser outros sintomas.
Com o avanço da doença, o número de manchas ou o tamanho das já existentes aumentam e os nervos ficam comprometidos, podendo causar deformações em regiões, como nariz e dedos, e impedir determinados movimentos, como abrir e fechar as mãos. Além disso, podem permitir que determinados acidentes ocorram em razão da falta de sensibilidade nessas regiões.
A incidência de hanseníase no Brasil diminuiu em 2011, ano em que 30.298 novos casos da doença foram detectados, 15% menos que em 2010, informou nesta quinta-feira o Ministério da Saúde. Dos novos casos registrados no último ano, 2.192 foram entre menores de 15 anos.
A meta do “Plano de eliminação da hanseníase no Brasil”, estabelecido em 2011, é a de menos de um caso para cada grupo de dez mil habitantes antes de 2015, e aumentar a porcentagem de cura para até 90% nos novos casos. O governo destinou neste ano R$ 16 milhões aos municípios onde há maior incidência da doença.
Em números absolutos, o Brasil é o segundo país que mais registra novos casos por ano no mundo, atrás apenas da Índia, que tem aproximadamente 150 mil novos casos ao ano.
Sem_Título (1) mapa dos casos no Brasil
A hanseníase foi durante muito tempo incurável e mutiladora. Os doentes eram reunidos em locais isolados e distantes do convívio familiar. Hoje, sabe-se que a hanseníase tem cura. O tratamento é gratuito e é distribuído em todo o território nacional.

HOSPITAIS COLONIAS  – NO PARANÁ TEMOS UM PIRAQUARA

O Fantástico produziu uma matéria que mostra um pouco da história dos filhos que foram isolados do convívio de suas famílias.
 Dos estados do sul, o Paraná é que mais tem novos casos e, no Paraná a região oeste é a que tem mais incidência da doença.
Cascavel teve 44 novos casos em 2011.
Além dos novos casos, tem um outro fator que é fundamental que seja trabalhado, o preconceito que existe, devido à falta de conhecimento sobre a doença. É necessário, que sejam idealizadas alternativas que visem não somente a eliminação da hanseníase como um problema de saúde pública, mas também, e principalmente, a um resgate da cidadania e o respeito por essas pessoas.
Após sabermos mais sobre essa doença, analisarmos os dados estatísticos e o quanto ainda precisamos melhorar, reunimos numa grande parceria  o Núcleo Regional da Educação de Cascavel, o Morhan – Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase e a Secretaria da Saúde de Cascavel para realizarmos essa Gincana e o Seminário dia 16 de maio de 2012.
 Objetivos da nossa Gincana:
  • Repassar a toda a comunidade informações sobre a doença;
  • Esclarecer sobre as formas de contágio e tratamento;
  • Acabar com  o preconceito existente aos portadores da doença por meio de atividade lúdica e da informação;
  • Integração entre a Saúde e a Educação;
  • Promover uma atividade em equipe na escola;
  • Integrar a escola com a comunidade e a sua história.

    Muitos artistas atuam como voluntários em Campanhas Nacionais.

    Contamos com você para mudar o mapa de casos no Paraná e acabar com o preconceito!


Anúncios